Cozinha para iniciantes!

bife1 Cozinha para iniciantes!

Mais um domingo tá indo embora e como de costume, foi dia de ir pra cozinha. Acho que isso é rotina de boa parte da mulherada quando não vão almoçar fora, é claro.
Para uns, é um tormento pensar em cozinhar alguma coisa. Já outros amam brincar de fazer comidinha e podem me incluir nessa, com certeza!
Já o ratinho fofinho Remy, do delicioso Ratatouille, havia dito que  “todo mundo PODE cozinhar, mas não quer dizer que DEVA cozinhar…“  Trocando em miúdos, significa que tem pessoas que são uma negação no fogão, e tudo que vão cozinhar é rejeitado até pelo cachorro do vizinho. Apesar disso fazer sentido de forma bem humorada, isso não precisa ser levado ao pé da letra, afinal de contas, nunca é tarde para aprender.

E pensando nas dificuldades que alguns encontram ao fazer o trivial, tipo bife, arroz ou batata frita, Rodrigo Ramalho, um analista de sistemas que adora fazer e ensinar, criou o espaço Iniciante na Cozinha. Lá ele ensina novatos de um jeito super divertido e numa linguagem coloquial, a fazer as delícias simples do dia a dia! Muito legal mesmo!
Tenho certeza que até mesmo aquele cujo maior feito na cozinha foi apenas ferver uma água, fará ótimos progressos!
 :D

Via Favoritos

You can leave a response, or trackback from your own site.

5 Responses to “Cozinha para iniciantes!”

  1. marilia disse:

    eu particularmente adoro brincar na cozinha… mas so na areas de doces mesmo! testarei as dicas!

  2. Mestre Zen disse:

    aaaah, Ester
    mas, o Remy mesmo aprende que todo mundo consegue cozinhar, se se esforçar bastante ;)

    PS: adoro cozinhar tb

  3. Zeca disse:

    Boa dica!
    Como agora eu moro em república isso cai como uma luva. Nunca comi tanto miojo na minha vida, como eu comi esse mês. Tá na hora de variar.

    http://www.zecanet.blogspot.com

  4. Márcio disse:

    Na mesma linha tem este livro: “professoras na cozinha” da Marilena Chauí (a filósofa mesmo!). Foi uma mão na roda nos meus tempos de independente solitário. Através dele finalmente desvendei aquelas medidas subjetivas como a famosa ‘pitada’ ou o ‘à gosto’.
    Enfim, achei esta resenha no google:

    http://basilico.uol.com.br/cultura/arte_lc_006.shtml

Leave a Reply